[Fora da Curva] Green Day - Father of All Motherfuckers



Na última sexta feira (07/02) a banda punk norte americana, Green Day, lançou o seu 13° álbum de estúdio, mostrando uma nova roupagem com uma sonoridade bem diferente dos seus trabalhos anteriores, como por exemplo “American Idiot (2004)” e “Dookie (1994)” dois principais trabalhos da banda que foram um divisor de água para o trio.

Uma curiosidade! Esse é um dos álbuns mais curtos da banda, com duração de apenas 25 minutos e contando com 10 faixas.
O trio californiano mesclou diversos elementos do rock anos 70, com batidas mais “dançantes”, coisa inimaginável em seus álbuns mais clássicos do bom e velho punk rock dos anos 90.

Billie Joe Armstrong pegou a receita do sucesso em suas músicas, colocando pitadas de críticas sociais, humor ácido e aquele belo “foda-se” para todos os políticos. Essa receita vem desde “American Idiot”.

Dá para acreditar? Billie Joe cantando em falsete em uma das faixas? Pois é! Novos trabalhos, novas surpresas por parte do vocalista.

Para os fãs mais saudosistas da era ouro do punk poderão ficar um pouco frustrados com esse projeto da banda, pois vão encontrar diversos ritmos em um único álbum, passando do rock, até chegar no glam rock e finalmente, indie rock.

O trio começou o ano em pleno gás, lançando o álbum e com ele três clipes de uma só vez! Isso que é energia, são 34 anos de carreira e eles estão em forma depois de muitos altos e baixos.

Green Day aposta em cada novo álbum na química perfeita de utilizar vários elementos musicais, não ficando apenas no bom e velho punk que deu origem ao grupo, cada vez mais eles arriscam com novas receitas que podem ou não agradar ao público mais antigo.

Vale estar na sua playlist do Spotify? Sim! Uma boa pedida para alegrar o seu dia.

Comentários