[Resenha] Memórias da Infância em que eu Morri


Título Original: Memórias da Infância em que eu Morri 

Autor: Hugo Pascottini Pernet 

Editora: Amazon 

Páginas: 172 

Ano Lançamento: 2017 


"Memórias da infância em que eu morri" é um romance narrado em primeira pessoa pelo menino Hugo, de nove anos. Fã de esportes e da leitura de Fernando Pessoa, Hugo recebe o diagnóstico de uma doença grave, logo após ele, os pais e o irmão mais velho se mudarem para uma casa grande, num novo bairro na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O diagnóstico não é bem recebido pelos pais, que passam a frequentar a Igreja com mais afinco e se apegam à religião durante o tratamento do menino. A mãe, principalmente, parece fechar-se em si mesma, isolando-se no quarto do segundo andar, trancada, o que deixa Hugo desnorteado, sem saber a quem recorrer para compreender melhor o que se passa consigo. Numa tentativa de comunicar-se com a mãe, para desabafar sobre seu sofrimento íntimo e tentar entender melhor o que se passa, Hugo começa a gravar fitas de áudio. 

Impressões: 

Uma doença pode mudar por completo a vida de toda uma família, principalmente do pequeno Hugo, personagem central da obra “Memórias da Infância em que eu Morri”, escrito pelo autor Hugo Pascottini. 

A obra é um misto de realidade e ficção, com uma carga dramática ímpar, levando o leitor aos prantos em determinadas situações com o personagem principal. 

De início o leitor vai presenciar uma relação saudável entre os pais do pequeno Hugo, além de uma descrição de todo o seu lar. Porém! Tudo muda com uma notícia drástica na vida da criança. 

Hugo de apenas 9 anos, apaixonado por futebol, vídeo game e ler toda obra do genial Fernando Pessoa, tendo sua vida mudada por completo da noite para o dia. 

Sendo privado de ir ara escola, Hugo passa intermináveis dias indo do hospital para casa e vice versa, deixando de lado o tão amado futebol e vídeo game, inclusive o contato com seus amigos de colégio. 

O autor esbanja talento em cada página, com uma escrita envolvente, amorosa e impactante. É um misto de emoções que o leitor sentaria em cada linha lida. 

Por conta dessa doença, toda estrutura familiar é abalada, seus pais se veem distantes um do outro, o sentimento que uni todos é completamente esgotado deixando assim, um lar totalmente sem amor. 

O leitor vai acompanhar de perto toda dor e sofrimento do protagonista, mesmo com seus sonhos e vontades, ele não deixa se abalar por conta de uma doença. Perseverança é o ponto chave de toda obra.


Comentários

  1. Gosto muito de dramas familiares e já li vários livros parecidos com esse. Onde o leitor sofre também com o personagem. Gostei da dica, tenho certeza que é um ótimo livro.

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da premissa do livro, eu nunca tinha ouvido falar da obra, parece ser uma leitura bem intensa, li essa semana "a cinco a passos de você" que é focado no tratamento de dois jovens contra a fibrose cística e me emocionei bastante então já imagino que iria me emocionar com esse também.

    Bjs Aruom Fenix

    Blog Leituras de Aruom

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Esse parece ser um livro bem forte, que vai me arrancar lágrimas! São livros assim que marcam nossa vida, principalmente por relatar fatos que podem acontecer conosco mesmo.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna | Instagram

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante de conhecer esse romance narrado pelo menino de nove anos, Hugo. Realmente, o diagnóstico de uma doença sempre muda drasticamente a vida de uma família. Ótimo saber que a mensagem de perseverança está presente como ponto chave em toda obra. Ótima indicação!https://amantedaartedaliteratura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Acho que histórias que mostram a relação de pessoas com alguma doença são muito emocionantes, mas com crianças são mais impactantes ainda. Parece ser um livro muito sensível! Gostei da resenha!
    Abraço,
    Liv | Resenhas Caóticas

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Nunca tinha ouvido falar desse livro mas achei a proposta bem diferente. Acredito que qualquer notícia seja ela boa ou não sempre muda a rotina da família. Acredito que a percepção é mais intensa ainda quando percebemos os fatos pelo olhar das crianças. Exemplo disso são as separações. Muitas crianças se sentem perdidas e magoadas até a fase adulta e não conseguem se recuperar. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Olá! Só de ver a capa eu já sabia que ia gostar da história. Achei que envolve assuntos muito delicados e importantes, e com certeza leva o leitor a um limite emocional. Acho lindos esses dramas familiares que causam reflexao. Dica anotada.

    www.coisasdemineira.com

    ResponderExcluir
  8. Adoro livros que desperta todos os nossos sentimentos, achei esse livro incrível vou procurar.

    Suas palavras e resenha fico belíssimo, parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Puxa, que história impactante! Muito triste, mas que parece de uma narrativa simples e rápida! Fiquei com dó da história do menino, embora faça a gente parar para pensar sobre o valorizar as coisas da vida. Adorei a pedida!

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?

    Eu amei sua indicação, esse livro parece ser incrível e muito tenso! Sua resenha tá maravilhosa, arrasou muito!!!

    Leonardo, do Porão Literário

    ResponderExcluir
  11. Esse livro parece ser muito chocante! Meu deus
    Quero para ontem

    ResponderExcluir

Postar um comentário